ABC do dia

ABC do dia: Términos, saudades e essas coisas

“Sempre fui perita nesse assunto, meus relacionamentos sempre foram falidos, e consequentemente sempre assinei meu óbito após cada “adeus”. É muito doloroso você se despedir de alguém que sempre te fez sorrir ao dar oi. Mais doloroso ainda do que a perda, é você aceitar que realmente tudo acabou. Mas você tem que superar. Tem que ver aquele filme que lembra o falecido e dar risada. Tem que ir na praça e sentar no banco que vocês costumavam a sentar e se deitar lá porque é confortável. Se valorize menina, calce a sandália do amor próprio, passe o batom da felicidade, use a base da calma na alma. Quando nos apaixonamos, colocamos automaticamente uma venda em nossos olhos, venda que se iguala a cegueira. Nada vejo, nada sinto, só faço… E faço por amor. É assim que um coração estupidamente apaixonado pensa. Não chore por um menino, tem pessoas que não valem uma lágrima. Quer chorar por ele? Chore. Mas chore pela alma obscura que ele carrega, pela negatividade que ele transparece. Quem te ama te faz sorrir, garota! Quem te ama, te cuida, te protege, zela por você. Vai mesmo se descabelar por aquele ali? Já olhou ao seu redor? Já viu quantos HOMENS estão prontos pra fazer você feliz? Voa, voa e agarra o que é seu. Viva a sua vida, ame insanamente. Chegue em seu leito de morte e tenha a certeza de que você viveu. Homem tem um a cada esquina, ache o seu, ache a sua outra metade e descarte a variedade.” (Ana Plassmann)

ABC do dia: Get a life!

Sabe aquele dia que você não se acha suficiente para nada?! Que se o mundo acabar agora, você não vai se importar? As vezes me sinto inutilmente inútil, as vezes sinto que não sou capaz para nada. Mas me lembro que tenho que levantar, que a vida não esta ganha e que ainda tenho muito o que viver, muitos amores para sofrer, muitos machucados para chorar e muitas vitórias para comemorar. Sim, vitórias. Por que só pensamos nas derrotas? Porque quando pensamos no futuro ligamos aos obstáculos que vamos encontrar? Reparem, conversem com alguma pessoa que você julgue capaz de lhe dar conselhos, eles vão falar do bendito obstáculo. Não podemos almejar o bom? Vamos começar a falar: “Anime-se, olhe quantas vitórias você tem pela frente…”. Isso com certeza ergueria mais que um: “Levante-se, tem muitos obstáculos pela frente…”. Que temos obstáculos, milhões, não posso negar. Mas quero contar minhas vitórias, quero gritar meus sorrisos, quero viver a felicidade e a alegria de tudo que conquistei e tudo que irei conquistar. Não posso deixar nada me abalar, não posso receber um não e me sentar, me encolher, viver da cegueira da solidão. O “não” deverá me temer daqui para frente. Sou mais que um “sim”, sou um “com certeza”. Metaforas e mais metaforas, palavras de auto-ajuda de que adianta? Ainda vivo num “talvez”. Acorda garota, calce as sandálias da vida, vá caminhar, sinta o ar bater em seu rosto, sentiu? É porque você esta viva. Sorria para aquele garoto, se encabulou? Sentiu frio na barriga? É porque você esta viva. Chorou com aquele filme? É porque você esta viva. Mas não basta estar, você tem que viver. Viva com a maior intensidade possível, se dedique por inteiro e tudo que for fazer, exercer. Se for dormir, durma bem. Se for comer, coma a melhor comida do mundo. Se amar, ame como se fosse o último garoto do mundo. Saia da mesmice! Sabe aquele caminho que você faz todo dia quando volta do trabalho, ou colégio? Mude. Sabe aquele restaurante que você já até sabe o nome do garçom? Mude. Religiosos ou não, que sentemos, nos ajoelhemos e agradecemos por essa dádiva, por essa aventura, por essa vida que você tanto reclamas. Viva, viva e viva. Certifique-se que quando estiver em sua cadeira de balanço, de mãos dadas com alguém especial, você derramará lágrimas de lembranças: de beijos, abraços, amizades, trabalhos, sucessos. Porque você viveu. (Ana Plassmann)

ABC do dia: Cilada

“Após a minha saída do hospital, meu coração supostamente curado… Quem disse?! Cilada do amor. E mais uma vez, surpreendentemente, você bate na porta da minha mente e se acomoda por lá, deixe-me dizer que pode ir embora quando quiser, e por favor, se puder deixar a chave da porta na mesa, seria melhor, e se quiser deixar sua cabeça, perfeito!! Ódio e amor, como arroz e feijão, como eu e você, como colocar para fora um turbilhão de sentimentos, tornando-se uma explosão. Muito amor para uma só alma…” (Ana Plassmann)

ABC do dia: É você?

“É você mesmo? São seus braços me tocando? São seus lábios me beijando? Você realmente voltou pra mim? Mas que grande mentira, alguém me belisque por favor. Eis que quem me belisca é você. Mas não pode ser verdade, uma coisa que eu julgava impossível acontecer, esta acontecendo… Qual reação tomar? O que fazer? Me jogar nesse mar do amor e me afogar ou apenas deixar a maré me levar? Inocente coração, amando novamente talvez em vão, mas dessa vez estou preparada. Preparada para que menina tola? O amor é incerto, e você mais ainda. Mas é exatamente essa onda que eu quero pegar, me afogar em teus beijos, nadar no seu amor e para sempre assim ficar! Bem vindo de volta, a porta do meu coração sempre esteve aberta…” (Ana Plassmann)

ABC do dia: “Luz no fim do túnel?”

“Sabe aquele momento reflexão pós meia noite? É como se fosse um filme e tivesse pausado nesse instante, e tivesse perdido o controle. Pensamentos malucos, insanos é o que enche o vazio da minha cabeça, e você não esta nem aqui pra me ocupar a mente. Saudade daquele beijo de mãe que cura o machucado. O meu corpo tá machucado, meu coração magoado… Sem saber que rumo tomar fico vagando, perambulando todos os caminhos dessa perdida solidão. No meu caso não tem nem luz no fim do túnel, devo procurar o que então? Eu acho que vou me sentar, bem aqui e esperar. Esperar enquanto o relógio não para? Nada disso. Vou tratar de me levantar e andar, correr, me mandar… Me jogar nesse mundo imenso, que de verde não tem mais nada, só o azul do mar, vamos ver o que ele guardou pra mim, quem sabe seja o amor.” (Ana Plassmann)

ABC do dia: “Melancolia”

Eu acordo todo o dia querendo um beijo seu, querendo um abraço! Desejando que foi tudo um pesadelo, e que nós ainda estamos juntos! Eu acordo, tentando não acordar, pois sei que meu dia será vazio, então já não acho mais motivos para sair do meu quarto. Se eu soubesse que aquele dia seria a última vez que ficamos juntos, eu desejaria que fosse eterno, e faria de tudo pra ser perfeito. Se eu soubesse que aquela noite seria a última vez que eu deitaria em seu colo, eu ficaria deitada ali para sempre… E talvez, te sequestraria. Dor que não passa, lágrimas que não se escondem, sorriso falso, preciso parar com isso. Mas me diga, qual remédio você esta tomando? Você me parece tão bem, nem parece que caiu, ou vai ver você caiu, mas nem se machucou. Eu cai, cai feio, cai na desesperança de que nunca mais vou poder dizer que te amo! E assim eu passo o dia a dia, usando máscaras por orgulho. Um beijo na sua testa, como quem diz “se cuida…“. (Ana Plassmann)

Boa noite meninas, todo sábado vou postar um ABC do dia, são todos de autoria minha, caso queiram copiar, coloquem os devidos créditos hahahah Perdão pelo primeiro ser meio triste, depressivo, mas é apenas o que eu estou sentindo agora. Sou apenas amante da escrita, perdão por alguns erros ou falta de coerencia. Afinal, como disse Paulo Leminski: “Eu escrevo apenasTem que ter por quê?”. Beijos meninas, lindo restinho de final de semana!!